INCOBRA - Increasing International Science, Technology and Innovation Cooperation between Brazil and the European Union

Helpdesk Newsletter

Follow us:

São Luis (MA): Infoday capacita cerca de 60 pessoas

Os participantes realizaram, ainda, atividades relacionadas ao Responsible Research and Innovation (RRI) e desenvolveram exercícios práticos

News

  • Posted on: Jul 26, 2018
  • Brazil

Sorry, this article is not available in your selected language.

O último dia do Congresso Abipti 2018 recebeu o Infoday, atividade do programa Incobra (Increasing International Science, Technology and Innovation Cooperation Between Brazil and the European Union), que capacitou cerca de 60 participantes, entre eles, pesquisadores, empreendedores e outros profissionais de inovação, para identificar oportunidades de cooperação internacional, com foco nos editais do programa Horizon 2020 (H2020) – programa de fomento à Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) da União Europeia.

A palestrante Joana Sampaio, gerente de coordenação e captação de recursos do Porto Digital, que também participou do sétimo painel no segundo dia de evento, foi quem deu início às atividades do dia explicando o funcionamento do Incobra e todas as atividades desenvolvidas pelo projeto.

Gorazd Weiss, do austríaco ZSI (Centro Social de Inovação, sigla em alemão), ficou responsável por se aprofundar sobre o Horizon 2020. Em sua apresentação, Weiss explicou que a intenção é ser um programa multidisciplinar que foque em impulsionar as inovações voltadas para o bem-estar social e o desenvolvimento sustentável em diversas áreas como alimentos, saúde, bioeconomia, transporte e energia limpa.

“Nesse desafio social de saúde, por exemplo, existem projetos para combater doenças como o zika vírus, a febre amarela, dentre outros. A UE financia muito esse tipo de pesquisa aqui no Brasil porque é onde é feita a pesquisa real junto com indústria farmacêutica e a sociedade. Há projetos para produzir vacinas e ajudar a resolver este problema que não é só do Brasil. Aqui há muitas instituições de excelência que participam”, comentou Weiss.

Os editais do Horizon 2020 têm como principal critério que as inovações criem impacto social, não importando se em estágio de pesquisa, protótipo ou solução final. Weiss explicou que todos os projetos precisam ter também parcerias com ONGs ou envolver a sociedade civil, “isso serve para que você possa mostrar a funcionalidade dessa inovação”, explicou.

Esta chamada do Horizon 2020 (2018-2020) é a última do programa, mas devido ao seu grande sucesso, a União Europeia já pensa em lançar um novo projeto semelhante para dar continuidade ao trabalho de cooperação internacional, contou Weiss.

A segunda parte do evento foi dedicada a falar das chamadas abertas para o Brasil e de como os pesquisadores, empreendedores, estudantes e quaisquer outros profissionais brasileiros podem se inscrever. Houve ainda um foco nas oportunidades de cooperação na área de ciências sociais.

Durante a tarde os participantes realizaram atividades relacionadas ao Responsible Research and Innovation (RRI). Os participantes tiveram uma introdução ao RRI e desenvolveram exercícios práticos e discussões.

A última palestra do dia foi realizada pelo Prof. Sérgio Queiroz da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) que falou sobre a aplicação de RRI no Brasil e a experiência da Fapesp.